Campanha de alerta para os cuidados no uso de antimicrobianos

Com o slogan ‘Antimicrobianos: Manuseie com Cuidado - compartilhe o alerta, detenha a resistência!’, a Aliança Tripartite - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e Organização Mundial de Saúde (OMS) - promove, até 24 de novembro, a Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos (WAAW 2021 – sigla em inglês)

 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) participa desde 2015 da campanha mundial nos cuidados do uso de antimicrobianos. 

Com o slogan ‘Antimicrobianos: Manuseie com Cuidado - compartilhe o alerta, detenha a resistência!’, a Aliança Tripartite - Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) e Organização Mundial de Saúde (OMS) - promove, até 24 de novembro, a Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos (WAAW 2021 – sigla em inglês).

A disseminação da resistência aos antimicrobianos (AMR), quando microrganismos, como as bactérias, por exemplo, se tornam resistentes aos medicamentos de tratamento, é um problema mundial com reflexos na saúde humana e animal. 

A campanha, realizada todos os anos no mês de novembro, visa sensibilizar, no contexto da Saúde Única, a conscientização global sobre a resistência aos antimicrobianos e incentivar as melhores práticas entre o público em geral, estudantes, trabalhadores da saúde e formuladores de políticas para evitar o surgimento e a disseminação da AMR.
Os antimicrobianos são utilizados nos tratamentos de infecções, principalmente de origem bacteriana. A resistência aos antimicrobianos é um dos maiores desafios para a saúde pública, com importante impacto na saúde humana e animal. “Os médicos veterinários devem respeitar o seu código de conduta profissional e prescrever antimicrobianos com base em conhecimentos clínicos e epidemiológicos, e sempre que possível respaldado por diagnósticos laboratoriais, não sendo influenciados direta ou indiretamente por incentivos econômicos ao prescreverem essa classe de medicamentos, devendo a quantidade estar limitada àquela necessária para o tratamento dos animais sob seu cuidado. Além disso, a escolha dos antimicrobianos deve ser realizada somente em adição e nunca em substituição às boas práticas pecuárias, de higiene, biossegurança, bem estar e programas de vacinação”, comentou o Auditor Fiscal Federal Agropecuário, Diego Menezes de Brito, também chefe da Divisão de Programas Especiais da coordenação-geral de Produtos de Uso Veterinário.

Ainda, conforme ele, embora o desenvolvimento da AMR seja um fenômeno natural dos microrganismos, está ocorrendo uma maior pressão seletiva e disseminação no mundo por:  mau uso de medicamentos antimicrobianos veterinários e humanos; programas inadequados ou inexistentes de prevenção e controle de infecções, o que favorece a transmissão da resistência entre os microrganismos e a exposição de indivíduos a microrganismos resistentes;  antimicrobianos de má qualidade; fraca capacidade laboratorial; vigilância e monitoramento inadequados; e insuficiente regulamentação e fiscalização do uso dos medicamentos antimicrobianos veterinários e humanos. “A fim de prevenir e controlar a resistência aos antimicrobianos, o tema está sendo tratado no contexto mundial e nacional respeitando-se a abordagem de Saúde Única, o que requer o trabalho em conjunto da saúde humana, animal e ambiental”, complementou o Affa.

Estando em contato com animais e agricultores, os veterinários encontram-se na linha de frente na batalha da resistência aos antimicrobianos, e precisam garantir o uso responsável e prudente de antimicrobianos em animais para preservar sua eficácia. “Combater a resistência dos patógenos aos antimicrobianos é um objetivo prioritário OIE, que por meio de suas normas internacionais defende o uso responsável e prudente dos agentes antimicrobianos - essenciais para a saúde e bem-estar dos humanos e animais - por médicos veterinários bem treinados”, disse.

Cada tratamento exige um cuidado e deve ser definido com base em conhecimentos clínicos e epidemiológicos do médico veterinário, e, sempre que possível, respaldado por diagnósticos laboratoriais. “É necessário o uso prudente e responsável dos antimicrobianos seja na saúde animal ou na saúde humana. Neste sentido, é importante observar a campanha OIE, chamada de regra dos cinco "somentes":  #1 SOMENTE use antimicrobianos quando prescritos por um(a) veterinário(a); #2 SOMENTE use antimicrobianos quando necessário, antimicrobianos não curam toda infecção; SOMENTE use o antimicrobiano na dosagem prescrita e respeita a duração do tratamento e período de retirada; SOMENTE adquira antimicrobianos de fontes e distribuidores autorizados!”, acrescentou Diego.


Programa de Vigilância da Resistência aos Antimicrobianos 
Em março de 2021, o Mapa implementou o Programa de Vigilância e Monitoramento da Resistência aos Antimicrobianos no Âmbito da Agropecuária com objetivo de avaliar riscos, tendências e padrões na ocorrência e disseminação da AMR por meio de alimentos de origem animal produzidos no Brasil, bem como prover dados essenciais para análises de risco relevantes à saúde animal e humana. 

As informações geradas a partir do programa irão embasar as tomadas de decisões, o estabelecimento de políticas públicas e a alocação apropriada de recursos nas ações de prevenção e contenção da AMR na cadeia de produção de alimentos.

 

Programação
No dia 22/11, o Mapa realizará, em parceria com a Aliança e o Centro Pan-Americano de Febre Aftosa (Panaftosa), o evento virtual: "A Força-Tarefa do Codex Alimentarius para Resistência aos Antimicrobianos terminou. E agora?", com transmissão pelo Youtube.

Nos dias 23 e 24/11, será realizado outro evento virtual em conjunto com o Ministério da Saúde, Anvisa e Organização Panamericana de Saúde (OPAS/OMS), a partir das 15h. 

A programação completa da Semana Mundial de Conscientização sobre o Uso de Antimicrobianos e links para acesso aos eventos estão disponíveis no site do Ministério da Agricultura. 

As atividades para estimular o uso racional de antimicrobianos em animais estão previstas no Plano de Ação Nacional para Prevenção e Controle da Resistência aos Antimicrobianos no âmbito da Agropecuária (PAN-BR AGRO), publicado em 2018 pelo Ministério da Agricultura. O uso inadequado ou excessivo de medicamentos aumenta o risco de resistência aos antimicrobianos e, em todo o mundo, pessoas, plantas e animais estão morrendo de infecções que não podem ser tratadas, mesmo com os mais poderosos antimicrobianos.

Anffa Sindical

ANFFA Sindical é o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários
Setor Comercial Sul, Quadra 2, Bloco C, 4º andar, Ed. Jockey Club - 70.302-912 - Brasília, DF
 + 55 (61) 99202-4764  / + 55 (61) 99226-6626  / + 55 (61)99932-0149