17
Ter, Set

+ Notícias

Foi definida nesta quinta-feira (7) a nova presidência do Conselho Técnico da Pecuária Leiteira do Fundesa RS. Foi eleito o representante do Ministério da Agricultura, auditor fiscal federal agropecuário Rodrigo Teixeira Pereira. Na vice-presidência, o representante da Fetag, Kaliton Prestes foi o escolhido. Para o novo presidente do CTOPL o maior desafio é avançar no controle e erradicação da brucelose e tuberculose. “Isso só será possível com o aumento do número de testes diagnósticos para as enfermidades e com mais certificações de propriedades livres”, afirma Pereira. Ele aproveitou o momento para reiterar a obrigatoriedade de vacinar contra a brucelose todas as terneiras de 3 a 8 meses de idade.

O presidente do Fundesa, Rogério Kerber, destacou que o Rio Grande do Sul é o único estado que indeniza produtores em casos de constatação de brucelose. Por isso, segundo ele, “há mais tranquilidade para realizar os testes e sanear o rebanho”. Conforme o último levantamento realizado, a prevalência de brucelose no estado é inferior a 1%. “Embora com incidência baixa, é preciso manter os cuidados e realizar a vacinação para chegar à erradicação da doença e ao status de área livre”, afirma Kerber.

Os Conselhos Técnicos Operacionais do Fundesa têm o objetivo de sugerir ações para desenvolvimento de políticas de sanidade e produtividade para os setores. Também é atividade dos integrantes do CTO avaliar os pedidos de indenização de produtores, conforme o regulamento do fundo e a legislação sanitária vigente.

Na próxima semana o CTOPL volta a se reunir com o objetivo de avaliar e atualizar os critérios para a tabela de indenizações para tuberculose e brucelose.

 

Fonte: O Presente Rural

0
0
0
s2sdefault