14
Qui, Nov

Notícias do Sindicato


No início da manhã desta terça-feira (19/06), a Diretoria Executiva (Direx) e o Conselho de Delegados Sindicais (CDS) iniciaram um debate relacionado à reestruturação da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) em conformidade com a pauta planejada.

Na ocasião, o presidente, Maurício Porto, o diretor de Política Profissional, Antônio Andrade, o Coordenador do CDS, Janus Pablo, e o primeiro Secretário, Felipe Corrêa, estiveram à frente da reunião.

Assuntos como nivelamento salarial com as demais carreiras de auditoria, a verticalização da inspeção animal, definições das atribuições das delegacias, e convênios com fundações foram discutidos, uma vez que estes tópicos estão incluídos no desdobramento do conjunto de ações da reestruturação da Secretaria.

“Podemos chamar de reestruturação da SDA ou desestruturação da mesma, pois o caminho está mais propriamente para isso. Com relação à verticalização, está ocorrendo, por exemplo, 3 postos de fronteira no mesmo estado respondendo para três chefias diferentes. Todos estão lotados na mesma superintendência, atuam no mesmo campo, mas cada um responde para um chefe em outro estado, o que gera uma grande confusão”, afirmou Andrade.

Ainda de acordo com o diretor, com base nas duas minutas de Projetos de Lei, documentos elaborados pela SDA, o debate sobre estes pontos ainda não se esgotaram. “Existem pontos nebulosos, por exemplo, no Artigo 4, parágrafo segundo, a SDA propõe que na área de insumos, a única competência exclusiva da Secretaria, que não poderá ser delegada, é o registro de produtos. O registro pode ser entendido como a mera fase cartorial. Dessa forma, a fiscalização da fabricação e controle de qualidade de insumos poderia não ser exercida pela SDA”, explicou.

Neste mesmo parágrafo, fica designado que os laboratórios oficiais só terão a função de determinar os métodos de ensaios. A fiscalização do credenciado não seria mais uma atribuição exclusiva da SDA. (veja aqui)

“Estão dando nomes pomposos, como modernização, reestruturação, verticalização, e mudanças de paradigmas, mas na verdade o que está por trás é o desmonte da fiscalização”, finalizou.

Logo mais, foram abordadas as estratégias de mobilização do CNM e a meritocracia. “Foi discutido com propostas do tema em nível de projeto e ações do Sindicato, fazendo gestão junto ao MAPA para conseguirmos um projeto alinhado aos interesses da nossa carreira”, afirmou Pablo.

Com relação à mobilização do próximo dia 29, sexta-feira, Pablo explicou que foram discutidas as peculiaridades de cada estado para que o movimento possa se adequar e ser realizado com sucesso. (saiba mais aqui)

Finalizando a parte da manhã, ainda foi comentado sobre o projeto Café com Anffa Sindical, projeto que tem por objetivo estreitar os laços entre os dirigentes sindicais com filiados nas bases. O debate será finalizado agora na parte da tarde.
 

0
0
0
s2sdefault