30
Ter, Mai

Delegacias Sindicais

A Delegacia Sindical de São Paulo (DS-SP) recebeu, na manhã da última sexta-feira (10/03), o deputado federal Arnaldo Faria de Sá (PTB/SP), para tratar sobre a Reforma da Previdência (PEC 287/2016). Na ocasião, Arnaldo falou aos cerca de 50 participantes sobre a importância de se trabalhar contra a PEC 287/2016, demonstrando apoio à demanda da categoria, e abordou dados sobre o “rombo” da Previdência.

“A Seguridade Social, mesmo com toda a crise econômica, teve superávit, mas há mais de meio bilhão de reais em sonegação fiscal para a Previdência. O Governo levou da DRU cerca de 120 bilhões e, em cinco anos, serão cerca de cinco trilhões”, alerta o deputado.

Faria de Sá aproveitou para ressaltar a importância do Agronegócio para a economia brasileira. "Graças a Deus existe o Agronegócio que faz com que o Brasil não quebre. Vocês têm um papel importante, pois são o único setor superavitário da economia”, frisou aos filiados paulistanos.

Vale ressaltar que a Reforma da Previdência passa por momento decisivo no Congresso Nacional. Na última sexta-feira, foi estendido o fim do prazo para apresentação de emendas por falta de quórum, estando previsto para finalização nesta segunda-feira (13/03), caso compareçam 51 deputados para abertura da sessão plenária da Câmara dos Deputados.

Ainda na sexta (10/03), Arnaldo ressaltou: “Semana que vem é a semana chave porque acaba o prazo das emendas e começam as votações. Sabemos que o Governo vai conseguir aprovar parte da Proposta, mas não podemos deixar de lutar. A população está tomando consciência da gravidade da Reforma e, dessa forma, o Governo já dá sinais de que pode negociar pontos para flexibilização”, afirma Arnaldo.

Até o momento, foram apresentadas 57 emendas. O Fórum das Carreiras de Estado (Fonacate), o qual o Anffa Sindical faz parte, propôs dez emendas à PEC 287/2016, que foram autenticadas por Arnaldo Faria de Sá e pelos deputados federais Roberto Lucena (PV/SP) e Lincoln Portela (PRB/MG), porém as propostas ainda aguardam somar 171 assinaturas de deputados apoiando cada uma, o mínimo necessário para a apresentação na Comissão. 

Arnaldoptb02


Com dados da DS-SP e Agência Brasil