19
Dom, Jan

Notícias do Sindicato

Em um ano marcado por turbulências, o trabalho articulado do CDS (Conselho de Delegados Sindicais) foi fundamental no avanço de algumas das pautas de interesse da categoria. Ao fazer um balanço do ano, o coordenador do Conselho, Janus Pablo, lembrou da realização das reuniões extraordinárias e ordinárias ocorridas nos meses de fevereiro, março, julho e novembro. Temas como o orçamento 2020, a apreciação do relatório do Conselho Fiscal e outras apreciações de rotina, vinculadas à Direx e ao CDS permearam as apreciações. “Este ano inovamos promovendo reunião em Maceió, sede do V Conaffa.” Completou Janus.

Conforme o coordenador, também foi iniciada a elaboração do código de ética do Anffa Sindical através de um Grupo de Trabalho formado pela Comissão de Ética e Disciplina, do Conselho de Delegados Sindicais. Já na reunião de novembro houve a apreciação da peça orçamentária, por meio de um parecer elaborado pela Comissão de Orçamento, Finanças e Gestão do CDS.

O ano reservou aos membros do CDS a participação de diversos cursos promovidos pela área de formação profissional. O destaque, segundo Janus, foi o curso de Assessoria Parlamentar. A presença contante nos encontros do “Café com Anffa” também marcou o ano dos membros do Conselho. “Nessa segunda fase conseguimos concluir praticamente as outras unidades da federação, faltando somente Maranhão, Amapá e Espírito Santo para ano que vem”, ressaltou o coordenador.

Perspectivas - Para 2020, a previsão até outubro, quando se encerra a gestão, é de que sejam realizadas duas reuniões ordinárias do CDS. A primeira, que será em março, atenderá uma diretriz aprovada no Conaffa, devendo ocorrer entre os dias 9 a 13, em Recife (PE). Na oportunidade, os delegados sindicais participarão do curso de formação de líderes, que será promovido pelo AFFA Alexander Dorneles.

“Além de novamente fazermos a reunião fora do eixo Brasília, contemplando outras regiões, vamos manter o princípio da economicidade e aproveitar a presença de todos para nossa participação no curso supracitado”, explicou.

A outra reunião ordinária, a última da gestão, está prevista para o mês de julho. De acordo com Janus Pablo, as perspectivas são preocupantes devido a vários pontos presentes na proposta de Reforma Administrativa. “São questionamentos que passam pelo enquadramento da nossa carreira no bloco das carreiras de auditoria e fiscalização, pelo nivelamento salarial, pelas atribuições, sem contar com a fragilização na estabilidade e diminuição do salário em virtude da redução da carga horária. São várias interrogações sem perspectivas de quando e de como isso vai se resolver”, ponderou.

Se as adversidades serão notórias no diálogo com o Executivo, no Legislativo não será diferente. “Esperamos um enfrentamento muito grande também no Congresso Nacional. Vamos tentar atuar fortemente junto com o Fonacate para minimizar ao máximo o impacto negativo aos servidores, que já vêm sofrendo com Reforma Previdenciária e outras medidas nocivas”, completou.

No cenário sindical, o chamamento às bases será fundamental. Não apenas na intensificação das mobilizações a serem definidas pelo Sindicato, mas pela preocupação com o futuro. “Já estamos trabalhando junto aos delegados sindicais a necessidade e a importância da formação de novas lideranças. Para isso, os delegados devem se envolver no processo eleitoral e começar a fomentar nas suas DS a participação de colegas e de todos os dirigentes sindicais”, concluiu. 

{Restrito}

 

0
0
0
s2sdefault