27
Qui, Jul

AFFA na mídia

Após denúncia da Delegacia do Anffa Sindical no Paraná (DS-PR) e quase dois anos de investigações, a Polícia Federal realizou, na manhã desta sexta-feira (17/03), a prisão de 38 pessoas envolvidas em um grande esquema de venda ilegal de carnes, dentre elas, Auditores Fiscais Federais Agropecuários.

Em nota, a PF afirma que as superintendências regionais do Ministério da Pesca e Agricultura dos Estados do Paraná, Minas Gerais e Goiás atuavam de acordo com o interesse das empresas, em suposta organização criminosa liderada por fiscais do MAPA que recebiam propina e facilitavam a produção de produtos adulterados, emitindo certificados sanitários sem fiscalização.

Segundo a instituição, essa é a maior operação já realizada na história da PF, com 1100 policiais mobilizados em seis Estados (Paraná, São Paulo, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e Goiás) e no Distrito Federal.

Entre as empresas investigadas, as quais a Justiça Federal do Paraná determinou o bloqueio de R$ 1 bilhão, estão alguns dos principais frigoríficos do país como BRF, JBS e Seara.

Em primeira declaração, o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto, mostrou total apoio à Polícia Federal e à Operação Carne Fraca ressaltando, inclusive, que a denúncia partiu do Anffa Sindical, através da DS-PR.

“É lamentável que AFFAs estejam envolvidos nesse esquema. O Sindicato apoia integralmente as investigações da PF, especialmente porque pautamos pela ética e legalidade e não concordamos com desvio de conduta, sobretudo quando se trata de assuntos de segurança alimentar da população”, enfatizou Porto.

O Anffa Sindical ainda irá se pronunciar sobre o caso oficialmente, em breve, por meio da sua Assessoria de Imprensa (RP1 Comunicação).
 

Opcarnefraca01