27
Qui, Fev

Releases

Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Affas) impediram a entrada de 2.100 toneladas de produtos irregulares em 2019, apenas no Porto de Santos. As cargas apreendidas continham pragas que poderiam causar grandes prejuízos aos produtores, além de substâncias e micro-organismos capazes de prejudicar a saúde dos consumidores.

"Estamos falando tanto de pragas exóticas que podem ingressar por frutas e outros vegetais e se disseminar pelas nossas lavouras, quanto de bactérias e vírus causadores de doenças que podem ingressar no país por produtos de origem animal", conta a Auditora Fiscal Federal Agropecuária e chefe da Seção de Vigilância Agropecuária de Brasília (Vigiagro), Janaína Gonçalves Garçone.

A auditora ressalta a importância do trabalho de fiscalização, uma vez que a entrada de pragas e doenças já causou grandes prejuízos ao país. Um grande exemplo é a introdução do bicudo-do-algodoeiro em 1983, que causou grande prejuízo às plantações de algodão e levou à suspensão das exportações do produto por 20 anos.

Houve também o surto de peste suína africana em 1978 após o vírus ter entrado no Brasil por meio dos restos de comida de voos internacionais no Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro. Por isso, os Affas fiscalizam cargas e bagagens em aeroportos, portos e fronteiras secas. Passageiros, por exemplo, podem trazer em suas malas alimentos que não seguem as diretrizes de segurança e podem conter pragas.

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) ressalta a importância da atuação dos Affas e os parabeniza por seu trabalho constante. "Porém, é importante lembrar da precarização pela qual passa o sistema de fiscalização brasileiro", afirma o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto.

Segundo relatório do Tribunal de Contas da União, há um déficit de mais de 1.500 Auditores Fiscais Federais Agropecuários. "Apesar de seu trabalho exemplar, os servidores atualmente na ativa não são suficientes para lidar com o crescimento nas exportações e importações de produtos agropecuários dos últimos anos", finaliza Maurício Porto.

Sobre os Auditores Fiscais Federais Agropecuários

O Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais Federais Agropecuários (Anffa Sindical) é a entidade representativa dos integrantes da carreira de Auditor Fiscal Federal Agropecuário. Os profissionais são engenheiros agrônomos, farmacêuticos, químicos, médicos veterinários e zootecnistas que exercem suas funções para garantir qualidade de vida, saúde e segurança alimentar para as famílias brasileiras. Atualmente existem 2,7 mil fiscais na ativa, que atuam nas áreas de auditoria e fiscalização, desde a fabricação de insumos, como vacinas, rações, sementes, fertilizantes, agrotóxicos etc., até o produto final, como sucos, refrigerantes, bebidas alcoólicas, produtos vegetais (arroz, feijão, óleos, azeites etc.), laticínios, ovos, méis e carnes. Os profissionais também estão nos campos, nas agroindústrias, nas instituições de pesquisa, nos laboratórios nacionais agropecuários, nos supermercados, nos portos, aeroportos e postos de fronteira, no acompanhamento dos programas agropecuários e nas negociações e relações internacionais do agronegócio. Do campo à mesa, dos pastos aos portos, do agronegócio para o Brasil e para o mundo.

Fonte: Re9 Comunicação

0
0
0
s2sdefault