31
Ter, Mar

Notícias do Sindicato

Os Auditores Fiscais Federais Agropecuários (AFFAs), servidores de carreira do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), são engenheiros agrônomos, farmacêuticos, químicos, médicos veterinários e zootecnistas que exercem suas funções há mais de 150 anos no serviço público federal, e como carreira, desde 2000 trabalham para garantir qualidade de vida, saúde e segurança alimentar às famílias brasileiras.

Sua presença está nos portos, aeroportos, postos de fronteira, campos brasileiros, empresas agropecuárias industriais, laboratórios, em programas agropecuários, nas cidades e relações internacionais - com representação em vinte e cinco postos no exterior, onde os Affas ocupam as funções de Adidos Agrícolas, que atuam como representantes do agronegócio brasileiro, na identificação de mercados, divulgando os produtos nacionais e intermediando as políticas agrícolas com os países onde estão instalados.

Conforme o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto, foram duas décadas de iniciação, muito trabalho e luta em prol do reconhecimento e fortalecimento da carreira, com uma evolução significativa em todos os aspectos. “Tivemos várias conquistas como a própria criação da carreira, a evolução e reconhecimento como atividades exclusivas de Estado, realização de concursos públicos, percepção de salários pela forma de subsídio, nomenclatura de Auditor, criação da Enagro - Escola Nacional de Gestão Agropecuária, as correções salariais, criação dos postos de adidos agrícolas, dentre outros”, acrescentou.

Porém, para o presidente, o cenário atual é ainda adverso, em função de questões políticas. “Isso vem se agravando há anos com a implantação e busca do estado mínimo. Os ataques ao serviço e aos servidores públicos têm sido intensivos, sobretudo no que diz respeito às reformas propostas, como a trabalhista, previdenciária e segue com a reforma administrativa. Tudo isso se traduz numa demanda maior à entidade e aos próprios servidores, incluindo os Affas, de luta diuturna”, disse.

Para o futuro, o Anffa Sindical espera a ascendência como carreira de atividades essenciais e exclusivas de Estado, principalmente, na sustentação do país, no segmento que contribui com o maior superávit da balança comercial do país, segurança alimentar, saúde pública, defesa agropecuária, proteção das lavouras e dos rebanhos. “O propósito é executar, de forma profícua, a fiscalização, inspeção, defesa e certificação de todos os produtos de origem animal e vegetal”, finalizou Maurício.

 

 

 

 

0
0
0
s2sdefault