27
Qui, Jul

+ Notícias

Após revelação da Operação Carne Fraca da Polícia Federal no dia 17 de março, o senador Ronaldo Caiado, líder do Democratas, falou à imprensa, na última segunda-feira (20/03), sobre as consequências da Operação para o mercado de exportação da carne nacional.

Na ocasião, Caiado cobrou maior rigor na fiscalização sanitária brasileira e ressaltou que o Brasil precisa, agora, sair da fase dos discursos. “É preciso parar com a fase discursiva e partir para a parte que dará resultados, liberando toda a equipe de técnica para estar na Europa, Estados Unidos, China e, com dados técnicos, comprovar o controle sanitário dos produtos que esses países estão adquirindo e que não existe comprometimento da qualidade da carne brasileira”, enfatizou o senador.

Caiado defendeu aos repórteres a qualidade da carne produzida no Brasil, e falou sobre a importância de tratar os casos de corrupção delatados sem prejudicar o setor.

“Não se pode jogar por terra tudo aquilo que é referencia do Brasil na produção de carne vermelha. Hoje, somos o segundo maior exportador e o único país no mundo que vende carne verde, de animais que não se alimentam de resíduos animais e que não recebem hormônios, como em tantos outros países. A qualidade da nossa carne é altamente competitiva”, argumentou.

Para o senador, tanto os funcionários corruptos que receberam propinas ou beneficiações como as empresas fiscalizadas envolvidas no esquema de fraude devem ser tratados a duras penas e sofrer as penalidades necessárias. “Esses devem receber punições duras e até o confisco de suas propriedades”, defendeu.

Ao final da coletiva, Caiado fala ainda sobre a importância do fim de indicações políticas para cargos técnicos. "Nós temos que tirar uma lição do que aconteceu com a Operação Carne Fraca. Deveria ser uma medida do presidente da República que para cargos técnicos seja inadmissível indicação política. Cargo técnico tem que ser por meritocracia, por competencia, por concurso público", enfatizou.

Assista à entrevista com Caiado, na íntegra, no vídeo abaixo:

 

*Informações do site do Senador Ronaldo Caiado (Democratas/GO).