14
Qui, Nov

+ Notícias

Se aproxima o início do ano legislativo no Congresso Nacional, e as carreiras de Estado e demais entidades representativas dos servidores públicos e da sociedade civil organizada programam uma série de ações para demonstrar à sociedade e convencer os parlamentares que a proposta sugerida pelo governo federal é muito prejudicial aos trabalhadores brasileiros.

“Vamos começar os trabalhos. Dialogar com parlamentares em todo o país, fazer campanhas de comunicação e mostrar para a sociedade, para o governo e para o poder Legislativo que o trabalhador brasileiro não pode abrir mão de suas conquistas históricas”, declarou o presidente do Fonacate, Rudinei Marques, em reunião realizada na tarde desta terça-feira (17).

O Fórum publicou em dezembro uma nota pública afirmando que a reforma da previdência “por sua importância e pelo impacto causado na vida de milhões de brasileiros, exige um diálogo amplo com todos os segmentos sociais envolvidos, a fim de construir consensos sobre a matéria" (clique e saiba mais).

Regras iguais para homens e mulheres, tanto para o serviço público quanto para a inciativa privada, idade mínima de 65 anos para aposentadoria, regras de transição e exigência de 49 anos para acesso ao benefício integral são os pontos duramente criticados pelas afiliadas ao Fonacate.

As Comissões Técnicas começam a se reunir nesta semana com o objetivo de elaborar emendas; montar agenda de atuação no Congresso Nacional, visita às lideranças e realização de audiências públicas; propor estratégias de divulgação em rádio, TV e nas redes sociais, com o objetivo de esclarecer a sociedade que a medida trará prejuízos incalculáveis; e organizar uma mobilização nacional contra as medidas propostas.

Faça parte desta campanha: NÃO A REFORMA DA PREVIDÊNCIA!!

Fonte: Ascom/FONACATE

0
0
0
s2sdefault