19
Qui, Out

Notícias do Sindicato

O Anffa Sindical reuniu-se, na noite desta quarta-feira (22/03), com o secretário executivo, Eumar Roberto Novacki, para tratar, entre outros assuntos, sobre a implementação da Meritocracia, que tem ganhado mais atenção da Secretaria Executiva após a revelação da Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, na última sexta-feira (17/03). A reunião foi convocada pelo secretário executivo em decorrência do Ato Público em defesa da Fiscalização Federal Agropecuária realizado, durante a tarde, no estacionamento da sede do MAPA.

Participaram da reunião o presidente do Anffa Sindical, Maurício Porto, o vice Marcos Lessa, o delegado da DS-DF, Ângelo de Queiroz, o delegado da DS-PR, Daniel Gouvea (que denunciou, em 2014, o esquema de fraudes em frigoríficos nacionais que culminou na Operação Carne Fraca), o diretor de Comunicação e Relações Públicas do Anffa Sindical (DCom), Roberto Siqueira Filho, o diretor de Assuntos Jurídicos, Márcio Squilassi, o delegado da DS-MT, Nilo Nascimento, o coordenador do Conselho de Delegados Sindicais, Heleno Guimarães, além do assessor da Secretaria Executiva, Ricardo Cavalcanti, e do chefe de divisão Sérgio Araújo Felício. O grupo levantou, na ocasião, um pleito antigo e relevante para os Auditores Fiscais Federais Agropecuários: a Meritocracia.

Inicialmente, o presidente Maurício Porto ressaltou que o escândalo envolvendo AFFAs em esquema de fraudes na industrialização e comercialização de carnes/derivados em frigoríficos nacionais já era previsto e alertado pelo Sindicato, desde 2012, e ressaltou a luta da Entidade pela escolha de cargos de chefia dentro do MAPA através de processos seletivos com base em critérios meritocráticos e não por indicações políticas, como ainda ocorre, hoje, mesmo após os recentes acontecimentos.

“É preciso acontecer uma tragédia para que alguma coisa seja feita? Isso é deprimente. O MAPA cria um grupo, nomeia o pessoal, o pessoal realiza um trabalho consistente, e que agora está parado”, enfatizou o presidente Porto referindo-se ao trabalho resultante do GT Meritocracia, que se encontra no Sistema Eletrônico de Informações do MAPA (SEI), aguardando apenas por implementação.

Para o secretário Novacki, a divulgação midiática da Operação Carne Fraca criou “um ambiente de alarme e histeria na população, que não é de todo ruim, pois, com isso, possibilita uma maior depuração sobre as pautas administrativas”.

 “Há momentos em que é necessário um estopim para deflagrar uma série de mudanças que, muitas vezes, no seu cotidiano, você não consegue mudar. Quando surge um fato como esse, a gente consegue avançar”, disse o secretário.

Ainda segundo Novacki, a Secretaria Executiva pretende pressionar o ministro Blairo Maggi no que concerne defender a Casa e seus servidores. “Sei que temos uma grande maioria de excepcionais servidores. Aqui temos pessoas que, de fato, podem ajudar o progresso do país”, defendeu o secretário.

Em resposta, Daniel Gouvea Teixeira, frisou a importância da implementação da Meritocracia. “Precisamos de pessoas à frente das Superintendências, com carta branca da Secretaria Executiva, que não sejam acusadas de inimizade, frente política, corporativismo e indicação, do contrário todo o trabalho feito até agora não vai ter adiantado nada”, alertou.

Novacki sinalizou a intenção de fazer um remanejamento dentro do MAPA e de providenciar para que pautas como a da Meritocracia saiam do papel. “Têm algumas providências que são pleitos antigos que a gente precisa de uma vez por todas concretizar”, afirmou o secretário.

O diretor de Comunicação e Relações Públicas do Anffa Sindical, Roberto Siqueira Filho, observou que a necessidade de dar atenção a pleitos como o da Meritocracia é da Casa, e não apenas dos AFFAs. “Tudo vem de uma necessidade nossa como da Administração, não só dos Auditores Agropecuários. Esse é um pleito da Casa e o Sindicato está sendo um canal para isso”, enfatizou.

Um pouco antes da reunião com o secretario executivo, durante o Ato Público, o vice-presidente Marcos Lessa levantou, para os cerca de 150 participantes, a questão da pauta administrativa do Sindicato, e ressaltou que esse é o momento de exigirmos sua implementação.

“Por que será que temos uma dificuldade tão grande em implementar a meritocracia? E a realização de concurso público, mesmo com uma defasagem de aproximadamente 850 AFFAs? Por que será que a Escola, Enagro, que foi criada com tanta pompa, hoje foi reduzida e está com uma diretoria temporária? É porque toda nossa pauta vai de encontro aos interesses de um grupo econômico que agora está sendo desmascarado através dessa Operação, e é por isso que o Sindicato tem obrigação de dar apoio incondicional ao trabalho da Polícia Federal”, afirmou Lessa, na ocasião.

Novacki afirmou, ainda, que a SE pretende viabilizar uma reunião com o ministro Blairo Maggi, para a próxima segunda-feira (27/03), a confirmar, com a participação de Entidades de Classe, aonde todas as pautas importantes aos servidores poderão ser encaminhadas.