23
Qua, Ago

Notícias do Sindicato

Diante das dúvidas geradas entre os Auditores Fiscais Federais Agropecuários sobre a forma gramaticalmente correta de se grafar a nova nomenclatura da carreira quando flexionada para o gênero feminino, a Diretoria de Comunicação e Relações Públicas enviou consulta à Academia Brasileira de Letras, que respondeu com os esclarecimentos. Pela resposta da ABL, a identificação deve ser grafada como “Auditora Fiscal Federal Agropecuária”.

Segundo a gramática, o termo “Auditor” seria um substantivo masculino, cuja flexão feminina seria “Auditora”. “Fiscal”, na nomenclatura, também seria um substantivo que, porém, não tem forma no feminino. "Federal”, no caso, age como um adjetivo e também não tem forma no feminino. E, por último, o “Agropecuário” da nomenclatura também é um adjetivo que, por sua vez, dispõe de uma forma no feminino e, portanto, quando do uso na identificação da nomenclatura, deve ser grafada como “Agropecuária”.

Outra dúvida era quanto ao uso, ou não, do hífen entre “Auditor/Auditora” e “Fiscal”. Sobre isso, o site da ABL esclarece que a forma acadêmica não prevê o uso dessa sinalização. Entretanto, o uso corriqueiro tem consagrado o seu uso, tornando-se habitual o uso do traço. Apenas como exemplo, cita-se as nomenclaturas dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil e dos Auditores-Fiscais do Trabalho, cujas normas de criação utilizaram o traço na definição das suas nomenclaturas (Leis nº 11.457/2007 e 10.593/2002, respectivamente).

Assim, para os AFFA homens, a identificação correta seria “Auditor Fiscal Federal Agropecuário”. E, para as mulheres, a forma correta seria “Auditora Fiscal Federal Agropecuária”. Quanto ao hífen, seu uso poderia ser opcional. Porém, como a Lei 13.324/2016 foi publicada sem utilizar o traço, diferentemente dos casos dos AFRF e dos AFT, sugere-se a grafia aprovada.