19
Dom, Nov

MAPA

A Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio divulgou, na última quinta-feira (20/3), no Boletim de Pessoal e de Serviços Extraordinário do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), o edital com o resultado final no processo interno de seleção de candidatos ao quadro de acesso a postos de Adidos Agrícolas junto à missões diplomáticas brasileiras no exterior. (veja aqui).

Ao todo foram selecionadas 34 pessoas. Hoje, o Brasil tem adidos agrícolas em oito países: Buenos Aires (Argentina), Washington (Estados Unidos), Bruxelas (União Europeia), Pequim (China), Moscou (Rússia), Pretória (África do Sul), Genebra (sede da Organização Mundial do Comércio) e Tóquio (Japão). Agora, esse número vai subir para 25.

A inscrição ocorreu em dezembro do ano passado e foi restrita a servidores do Ministério. O processo seletivo envolveu avaliação curricular, avaliação de conhecimentos gerais e específicos, que consistirá de prova de língua portuguesa sobre temas relacionados ao agronegócio, prova sobre as atividades de adido agrícola e provas de conhecimentos dos idiomas português e inglês, prova oral de proficiência no idioma inglês; e avaliação psicológica.

De acordo com a AFFA integrante da Coordenação de Gestão de Adidos Agrícolas, Laucir Gonçalves, o próximo passo agora é a realização do curso de capacitação, previsto para o mês de maio. "No final deste curso será possível aferir uma nova pontuação entre as pessoas inclusas no quadro de acesso e, então, de acordo com o rendimento, haverá uma reclassificação. Quando sair o edital de abertura dos postos, haverá a candidatura e os cinco melhores posicionados irão para entrevista. Destes, três farão treinamentos e formarão uma lista tríplice para avaliação do ministro", explica. Vale ressaltar que, além dos selecionados no último certame, integram o quadro de acesso seis ex-adidos agrícolas.

Empenho – A busca pela maior ocupação de AFFAs no cardo de adido agrícola, devido ao seu perfil laboral adequado, tem sido uma das bandeiras do Anffa Sindical junto ao Mapa. Há cerca de um ano, representantes da Direx estiveram na pasta e cobraram posicionamento a respeito (veja aqui).